Ano VII - 2007/2013 - BLOG FENÔMENOS SOBRENATURAIS - Developed by IVSON DE MORAES ALEXANDRE - VOLTA REDONDA - ESTADO DO RIO DE JANEIRO - BRASIL.
Seja bem-vindo. Hoje é

quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

Um animal pode prever a morte de uma pessoa?

Em julho de 2007, uma história fascinante surgiu no New England Journal of Medicine sobre um gato (em inglês) que podia "prever" as mortes de pacientes em uma casa de saúde várias horas antes deles morrerem. Oscar, um gato adotado pela equipe da Casa de Saúde e Reabilitação Steere em Providence, R.I., fez pelo menos 25 previsões bem-sucedidas, nas quais os pacientes morreram horas após o gato sentar ao lado de seus leitos. Após a equipe da casa de saúde ter percebido a capacidade de Oscar, eles começaram a alertar as famílias sempre que o gato assumia seu posto próximo ao paciente. A maioria das famílias tolerava ou mesmo agradecia a sua presença, apesar de Oscar ficar estressado se forçado para fora do quarto de um paciente morrendo, miando atrás da porta.
Imagem cedida por Anna Humphreys/stock.xchngGatos normalmente são associados a um
comportamento alheio e independente.Eles realmente têm um sexto sentido quanto à morte iminente?
As ações de Oscar parecem ser deliberadas. Ele regularmente caminha em volta da unidade da casa de saúde para pacientes com demência (em inglês) avançada. Ele fareja e fita uma paciente antes de sentar-se ao lado dela. Oscar então ronrona enquanto está com a paciente e normalmente a deixa logo após ela morrer.
Como Oscar faz isso? Trata-se de um "sexto sentido", um cheiro exclusivo que ele fareja ou algo mais? Especialistas em animais formularam várias explicações, mas a maioria concorda que provavelmente isso tem a ver com um cheiro específico produzido por pacientes terminais. Em outras palavras, pessoas que estão morrendo exalam cheiro de determinados produtos químicos que não são detectáveis por outros humanos, mas que podem provocar o olfato de Oscar. Um especialista em felinos disse que os gatos podem sentir doenças em seus amigos humanos e animais [Fonte: BBC News (site em inglês)]. Jacqueline Pritchard, uma especialista em animais, disse à BBC News que ela estava certa de que Oscar estava sentindo os órgãos vitais entrando em colapso [Fonte: BBC News (site em inglês)].
Quanto a por que ele faz vigília próximo aos pacientes, Oscar pode estar imitando o comportamento da equipe que passa mais tempo com pacientes que estão morrendo. Um especialista em animais sugeriu que pode ser que Oscar simplesmente aprecia o conforto de cobertores aquecidos colocados em pacientes que estão morrendo [Fonte: NPR (site em inglês)].
Histórias de animais com habilidades notáveis não são raras. Há muito tempo existem histórias de cães que detectam vários tipos de câncer com seu faro. Um estudo comprovou depois que os cães podiam sentir evidência de câncer de bexiga ao farejá-lo na urina. Algumas pessoas que sofrem de epilepsia (em inglês) grave usam cães especialmente treinados fornecidos por instituições de caridade. Esses cães avisam seus donos sobre convulsões (em inglês) iminentes, dando lambidas ou fazendo algum outro sinal. Uma mulher disse que seu cão regularmente lhe dá um aviso com antecedência de 40 minutos, permitindo que ela vá para um local seguro para não se preocupar com perigos quando ela tem convulsões [Fonte: BBC News (site em inglês)].
Os cães que sentem convulsões buscam cheiros sutis e mudanças nas características dos seus donos (como pupilas dilatadas). O seu treinamento, que leva pelo menos um ano, lhes ensina a avisar seus donos. Apesar de estarmos acostumados a ouvir falar de cães que aprendem a ajudar os cegos ou a buscar pessoas feridas, o caso de Oscar é mais curioso. Gatos, diferentemente de cães ou mesmo elefantes, não são associados a um comportamento altruístico ou empático. Cientistas acreditam que cães podem sentir doenças nos outros devido à sua origem evolucionária como os lobos, que precisavam ser capazes de detectar quando algum animal na matilha estava ferido ou doente.
Nós descobrimos algumas explicações racionais para as ações de Oscar e de cães que prevêem convulsões: cheiros sutis, pupilas dilatadas, comportamentos aprendidos. Mas, e quanto a outros comportamentos animais estranhos? Alguns animais podem realmente prever terremotos ou sentir compaixão? Etologia e comportamento animal estranho
Imagem cedida por Dorte Jensen/stock.xchngAlguns donos de animais de estimação atribuem poderes
sobrenaturais aos seus amigos peludos, mas uma previsão de
terremoto ou outra ocorrência estranha deve-se
provavelmente aos sentidos aguçados do animalEtologia é o estudo do comportamento animal, baseado na zoologia. Etologistas estudam a base evolucionária e o desenvolvimento dos comportamentos inatos dos animais, como uma aranha que sabe como fazer uma teia sem aprender com os pais. Eles também estudam formas de comunicação (física, química, visual) e interações sociais entre animais. A pesquisa da etologia humana observa as origens evolucionárias do comportamento humano e também compara comportamentos em diferentes culturas. Outros estudos do comportamento animal são baseados na psicologia, enfocando aspectos como o comportamento aprendido e comportamentos de ensinamento dos animais, aplicando os resultados em humanos.
Uma pergunta comum sobre animais que pode ser considerada através da óptica da etologia é se os animais têm capacidades sensitivas especiais. Por milhares de anos foram difundidas histórias sobre animais que prevêem terremotos. Um pouco antes do tsunami de 2004 que arrasou partes do sudeste da Ásia, muitos animais exibiram um comportamento estranho ou correram (ou voaram) para terrenos mais elevados. De acordo com alguns depoimentos, os trabalhadores de resgate encontraram um número surpreendentemente baixo de animais mortos, apesar de ter havido áreas onde muitos animais mortos, especialmente gado, foram descobertos.
Este é outro caso de um "sexto sentido" especial ou capacidade sobrenatural? Alguns cientistas propõem que a audição sofisticada e a capacidade de detectar vibrações sutis permitem aos animais prever terremotos. Alguns também sugerem que animais detectam mudanças no ar ou em campos eletromagnéticos. De qualquer modo, provavelmente não se trata de um sentido misterioso mas um ou dois sentidos (como audição e olfato) que são tão refinados que os animais podem ouvir um terremoto ou sentir o cheiro de gases liberados por um terremoto. Alan Rabinowitz, da Wildlife Conservation Society, afirma que os humanos já tiveram essa capacidade mas a perderam ao longo da evolução [Fonte: National Geographic (site em inglês)]. O programa "60 Minutes" da CBS produziu uma notável reportagem explicando como o povo navegante Moken usou a sua estreita relação com o oceano para detectar o tsunami antes de ter acontecido.
É muito difícil para os cientistas determinarem exatamente o que faz com que os animais fujam ou entrem em pânico antes de um terremoto. Existem inúmeras histórias assim, mas não existe um método confiável de teste. Afinal, os animais respondem a muitos estímulos, alguns dos quais são difíceis de acompanhar. Os críticos também falam que as pessoas lembram de seus animais de estimação agindo diferentemente somente porque aconteceu um terremoto, e que os animais freqüentemente se comportam de maneira estranha sem haver nenhum terremoto ou desastre posterior. Mas a teoria de que os animais prevêem terremotos obteve fundamentação suficiente que os cientistas no mundo todo tentaram testá-la, com resultados inconclusivos.
Não apenas alguns animais têm sentidos altamente apurados, como também muitos deles têm emoções sofisticadas. Frans B.M. de Waal, um renomado primatologista na Universidade de Emory, afirma que uma variedade de animais - não apenas gatos (em inglês) ou cães, mas até mesmo ratos - sentem empatia e outras emoções [Fonte: Scientific American (site em inglês)]. Em um estudo, cientistas injetaram em camundongos um produto químico que lhes davam ligeiras dores de estômago. A resposta comportamental natural é esticar-se, e os camundongos injetados esticavam-se mais quando colocados próximos a camundongos injetados do que quando colocados próximos a camundongos não injetados. Camundongos machos também mostravam menos resposta próximos a machos que eles não conheciam. Em outras palavras, não apenas camundongos mostram uma resposta à dor dos outros, mas faz diferença quem é o outro camundongo. A neurobiologista da Universidade de Chicago Peggy Mason considerou este "um passo significativo em direção ao sentimento social similar ao humano" [Fonte: Scientific American (site em inglês)].

Um comentário:

Paula disse...

Bom dia
O seu post sobre Um animal pode prever a morte de uma pessoa, foi plagiado do nosso site (hsw.com.br) e além de não concedermos autorização para cópia parcial ou total de nossos artigos, esse tipo de prática prejudica nossa indexação nos mecanismos de busca (especialmente Google) e nosso modelo de negócios.
Por favor, retire todo o conteúdo plagiado de nosso site.
Artigo plagiado: http://pessoas.hsw.uol.com.br/sexto-sentido-animal.htm
obrigado,

Alexandre de Freitas
CEO HowStuffWorks Brasil
e-mail: afreitas@hswint.com